13:00 hs
BRING IT!
14:00 hs
JANE THE VIRGIN
15:00 hs
PROJECT RUNWAY
16:00 hs
JANE THE VIRGIN
Todos os horários+horarios
FEMINISMO

Time’s Up: protesto no Globo de Ouro finca o pé na luta contra abuso sexual

O 75º Globo de Ouro, que aconteceu neste domingo, dia 7, foi muito mais que uma premiação dos melhores da indústria cinematográfica de 2017.

Este ano, o evento se transformou num imenso palco na luta contra desigualdade de gênero e assédio sexual no universo do entretenimento – uma oportunidade de mostrar ao mundo que o tempo de tolerar abusos acabou.

Assim nasceu o Time’s Up, iniciativa que surgiu em Hollywood e que visa apoiar mulheres vítimas de abusos e assédio sexual. 

O protesto começou ainda do lado de fora, no tapete vermelho. Atrizes de peso, como Mery Streep e Emma Watson chegaram à premiação acompanhadas de ativistas que lutam pelos direitos das mulheres – entre elas, Tanara Burke, criadora do movimento #MeToo, que estimulou a denúncia de milhares de casos de abuso pelo mundo, e Ai-Jen Poo, que luta pelo direito das trabalhadoras domésticas.  

Dezenas de celebridades foram vestidas de preto à cerimônia, em protesto. 

Muitos homens também aderiram ao Time’s Up. Justin Timberlake apareceu com camisa presta e um broche do movimento. David Harbour, de Stranger Things, foi outro que abraçou a causa, junto com alguns astros-mirins da série. 

O ponto alto, no entanto, foi a fala de Oprah Winfrey – ganhadora do prêmio Cecil B. DeMille pelo conjunto da obra. Com um discurso poderoso, a apresentadora, que se tornou a primeira mulher negra a receber essa homenagem, disse: 

“Quero, esta noite, agradecer a todas as mulheres que, por anos, têm aguentado casos de abuso e assédio porque, como minha mãe, elas têm filhos para criar, contas para pagar e sonhos para perseguir. São mulheres cujos nomes jamais saberemos (...). Eu quero que todas as meninas que estão me assistindo hoje, agora, saibam que há um novo dia surgindo no horizonte. E quando esse dia raiar, lembraremos dessas mulheres magníficas – muitas delas presentes aqui – e alguns homens excepcionais que lutam fortemente para que não haja mais uma época em que a gente tenha que dizer ‘#MeToo’  novamente. 

A plateia, com razão, veio abaixo com o discurso. 

 


Fonte: UOL 

Imagem: Everett Collection / Shutterstock